Border Collie – Tudo sobre a raça

Border Collie na História

Desde o século XIX apareceu o primeiro registro a cerca da espécie Border Collie, na na região da Grã-Bretanha. A espécie introduziu determinados fundamentos novos na forma como seria elaborado o trabalho de pastoreio. Mostrando sua autoridade para o gado, esta espécie ladrava firmando sua autoridade. Logo em seguida, eles iniciavam a dar voltas em torno do rebanho para conduzí-los até o lugar pretendido. A mudança que o cão Border Collie apresentou foi a eficácia de administrar o gado sem latir. Na realidade, a primeira espécie que conduziu um rebanho sem latir foi o Hemp, o qual é tido como o antecessor direto da espécie de cachorro Border Collie.
Cachorro que deu início à raça, o Hemp ajudou para que fosse estipulado um padrão ao cão Border Collie. Em contrapartida, a fisionomia do cão era pouco importante. No ano de 1906, época em que a prévia uniformização foi definida, eram considerados o temperamento e a aptidão do cachorro para o pastoreio.
Naquela época a raça ainda não era renomada tal como nos tempos atuais, sendo denominada de Sheepdogs (cães pastores de ovelhas). Passaram a receber o título de cachorro Border Collie somente em 1915, período que vieram ao território americano e passaram a ser adorados por sua fisionomia e seus amantes começaram a defender a autenticação da raça pelo American Kennel Club (AKC), o que aconteceu no ano de 1995.

Peculiaridades do Border Collie

O crânio do pet Border Collie é um pouco grande, mas não é desproporcional com relação ao pescoço e o restante do corpo. Comparando-se com cães de mesmo gênero, a raça apresenta um focinho velozmente menor. Os olhos inclusive são muito interessantes, aparentando que estão sempre muito atentos a tudo que está decorrendo em seu meio, com uma estrutura oval e, geralmente, são da coloração castanha.
As orelhas do cão Border Collie são outro fator chamativo na cabeça da raça, porque estão constantemente tombadas para o lado, entretanto como são pequenas contribuem para que ele pareça estar constantemente em condição de alerta. O cão Border Collie apresenta uma impressionante extrutura óssea e corpo bem equilibrado e atlético. Além de conseguirem empregar a sua estatura a seu favor, ela inclusive é capaz de realizar as demais tarefas com bastante facilidade.
O olhar é uma das qualidades sem comparação do cachorro Border Collie e com certeza o artifício mais significativo da raça. É um olhar hipnotizante que o cachorro aponta às ovelhas, levando-as a permanecer no lugar. Mas, há os demais animais os quais também são afetados pelo olhar do Border, porém eles não se inibem e, de fato, se assentem totalmente irritados com aquele olhar.

Pelagem do Border Collie

A espécie possui duas variantes em sua pelagem: pelo semilongo ocasionando uma crina, culotes e um rabo de raposa, e pelo reduzido. Porém, em ambos os modelos de pelagem, o pelo é bem condensado. O Subpelo inclusive é condensado e macio oferecendo boa defesa em oposição a intempéries. Na cara e orelhas o pelo é curto e macio. Até em função de possuir sua constituição basicamente virada ao trabalho, o cachorro Border Collie não segue um parâmetro bastante rígido quanto ao tipo corporal esperado.
Ao longo dos anos o pet Border Collie foi sendo aperfeiçoado com outros cães que exibiam peculiaridades e características similares relativo ao pelo, por isso este foi um detalhe que acabou ressaltado no produto definitivo da espécie atual.
Em relação a pigmentação, o cachorro Border Collie possui uma enorme variedade de cores, sendo capaz de se apresentar nas colorações, marrom, avermelhada, preto e, também, em uma tonalidade azulada sobre um fundo esbranquiçado, entretanto este não é tão frequente.
Pra uma melhor qualidade em sua pelagem, as escovações precisam ser frequentes, contudo os banhos podem ser oferecidos mensalmente. Nos cães que tenham pelos longos, a escovação deve ser efetuada diariamente.

Psicológico do Border Collie

Esta raça é bastante inteligente, leal, muito vigoroso e com bastante energia. Estão constantemente dispostos para se divertir e inclusive executar algum trabalho. Eles são bastante mansos e obedientes, mas bem reservados em relação a desconhecidos. Eles ainda não apreciam servir de guarda ou defender suas propriedades.
Fora de ser bastante disciplinado, o cachorro Border Collie é um cão que se julga satisfeito ao receber uma ordem ou comando de seu dono e os seus sinais primários de lealdade já podem ser constatados a começar do desmame. Para que você possua bastante sucesso no adestramento, é essencial que você principie a adestrá-lo o mais cedo possível.
Você já tem outros animais e quer possuir um cão Border Collie? Pode ficar sossegado, visto que esta espécie se adequa tranquilamente com qualquer pessoa ou os demais tipos de pets. Tido como proprietário da espécie mais inteligente do mundo, esse cachorro também normalmente é surpreendentemente leal, e o seu costume de ‘encarar’ os demais animais é capaz de fazer com que determinados deles se incomodem imensamente.

Vantagens de ter um Border Collie

O cachorro Border Collie é um excelente cachorro de convivência. Seu temperamento um pouco auto-suficiente pode fazer dele um cão um pouco separado, mas quando criado desde pequeno em meio de adultos acaba por ficar mais necessitado deles. Ele ainda possui uma simplicidade no convívio com outros cães, independente de gostar e de conservar um costume mais isolado dos outros animais da casa. Mas, se você tiver outros cães da mesma raça, aí sim, eles irão adorar ficar mais próximos uns dos outros.

O cachorro Border Collie é um animal totalmente leal e dedicado aos seus proprietários evidenciando claramente o seu contentamento em executar trabalhos e comandos próprios no momento em que ordenados por seu proprietário. Focado, o cachorro dessa raça costuma se entregar por completo a aquilo que lhe é solicitado, sendo também, muito receoso em relação a estranhos e muito protetor e possessivo com as pessoas com quem convive.
Uma aptidão desta raça está diretamente associada a sua condição física. Como apresenta um corpo musculoso, ele tem enorme rapidez para prova de corridas ou outras tarefas que tenha que expor rapidez. No seu quotidiano ele se manifesta bem receptivo ao operar em grupo. Caso seja bem ensinado, ele tem a capacidade de dividir um trabalho com outro cachorro em um mesmo agrupamento sem problemas. A raça acaba sendo uma das prediletas para participar de competições em que a destreza é o requisito central.

Problemas usuais do Border Collie

O Border Collie é um cão vigoroso e extremamente saudável, praticamente isento de problemas genéticos, no entanto é frequente em machos problemas de osteocondrite dissecante, e anormalidade na cartilagem. Durante a sua existência, o cachorro Border Collie pode apresentar certos problemas na área dos olhos e em seus quadris, devido a isso, ainda que não aparente nada, leve o seu cão a um veterinário para exames de rotina.
Um é a Atrofia Progressiva da Retina, intitulada como PRA central, uma degradação da retina em virtude do acúmulo de melanina, que pode surgir a começar dos 3 anos de vida. Essa doença, afetou 12% dos cachorros da Inglaterra no período de 1980, alcança hoje só cerca de 1% do criadouro na Inglaterra.
Outro contratempo que pode acometer os Borders é a CEA (Anomalia do Olho do Collie), uma mudança de lugar da retina e que manifesta-se bem prematuramente. A CEA resulta em hemorragias e cegueira e afetam por volta de 2% dos espécimes. Manifestações de Displasia Coxo-Femural (anormalidade no encaixe do fêmur e da bacia) também já foram evidenciados, mas são mais excepcionais.
Como os cães Borders Collie são bem resistentes à dor, eles podem não transparecer qualquer tipo de lesão, por conta disso você deve conduzir seu cachorro ao médico-veterinário constantemente, além disso, eles são capazes de viver até os quatorze anos.

Cuidados da Raça Border Collie

Você deve estimular seu cão a fazer alguns exercícios diariamente, ao menos por uma hora, o que faz com que seu cão esteja mais saudável. Eles carecem de atenção com muita assiduidade, de outra forma eles podem se aborrecer à toa e começar a estragar os seus bens em casa. O cachorro da espécie Border Collie que passa bastante tempo amarrado, é capaz de ficar bastante inquieto e tornar-se agressivo.
Então, morar em uma residência ou apartamento de tamanho considerável e que possua acesso a áreas abertas já é um grande começo a fim de manter um Border Collie com saúde, já que seu nível de vigor é muito alto e ele tem necessidade de lugares onde seja capaz de correr e divertir-se.
Se você carece de um cachorro pra te ajudar com o serviço, o Border Collie é a mais acertada opção. Ele é um cachorro completamente carinhoso, que adora ficar em companhia da sua família.

Filhotes de Border Collie

Caso você esteja bastante motivado, você terá bastante êxito em amestrar o seu cachorro Border Collie. Não importa a idade, contanto que você esteja determinado, você será capaz de educá-lo com bastante serenidade e facilidade.
O instinto de pastoreio do pet Border Collie é ainda tão forte que inclusive os pequenos filhotes já começam a tomar a pose típica da espécie no momento em que trabalha. Consoante os especialistas, essa conduta é uma forte aliada na advertência das ovelhas.

Curiosidades sobre o Border Collie

– Mesmo não sendo violento e hostil, o Border Collie consegue se impor espontaneamente. Mesmo sem aterrorizar ou atemorizar, o pet Border Collie é capaz de administrar todo o gado sem nenhuma dificuldade. A enorme distinção dessa espécie entre as as demais especializadas em pastoreio é o fato do cão Border CollieBorder Collie não ladrar, por conta disso ele se ressaltou sobre as demais raças.
– De acordo com o livro “A Inteligência dos Cães”, de Stanley Coren, o cachorro Border Collie está no alto da lista das raças de cães mais inteligentes. Dizem que é um cão apto a controlar o rebanho somente com os olhos, como se estivesse encantando animais com o olhar.
– Apesar da origem correta e o conceito do nome Border Collie até hoje sejam não conhecidos, poucos dizem que Collie pode ser uma derivação de uma expressão anglo-saxônica que quer dizer escuro. Outros expressam que deriva do termo Welsh Coelius, que significa fiéis, à medida que alguns declaram que o termo vem do Colley o qual se remete a um tipo de ovelhas escocesas. O nome Divisa (Border) é mais recorrente, e representa a área na qual, em especial, estes cachorros foram utilizados: Mais especificamente nas fronteiras da Escócia e do País de Gales com a Inglaterra.

Beagle – Principais Informações

Beagle – Principais Informações

Existem determinados registros da existência de um cachorro bastante parecido com o Beagle moderno na Grécia Antiga. Em tratados que foram datados no período de 433 A. C. é possível ler a respeito de uma espécie de cão que possui a capacidade de identificar a presença de lebres a centenas de metros de distância.
Com o intuito de se chegar aos Beagles de hoje em dia, podemos saltar alguns séculos no tempo, mais precisamente da Grécia A. C até à Inglaterra no século XI, onde existem muitos registros de várias espécies que foram sendo acasaladas até chegar ao Beagle que atualmente conhecemos. Com o objetivo de se chegar até aos cachorros Beagle recentes, duas raças de cachorros bem definidas foram mescigenadas: Talbot e Galgos Ingleses. Essas raças são definidas como as mesmas linhagens dos cães Beagle modernos.
Apesar de cientistas conseguirem mapear a procedência da grande parte das espécies de cães modernos, no caso do Beagle havia um problema nos registros que acabou dificultando o serviço. Outrora, independente da raça de cão, caso o cão fosse de um tamanho mediano, ele era nomeado como Beagle. Esses documentos possuíam datas do século XVIII na Inglaterra. Porém esses registros provam que ao longo do mesmo período havia uma preocupação em produzir uma raça de cães de pequeno tamanho que fosse eficaz para a caça, em principal de lebres e coelhos. É evidente que para executar essa tarefa o olfato aguçado era essencial.
Pelo que estes registros mais atuais assinalam, foi graças a uma matilha do reverendo Phillip Honeywood, da Inglaterra, no período de 1830, que se iniciou uma base pequena para o Beagle atual. Pressupoe-se que os primeiros cães com as particularidades da raça atual começaram a ser levados para os Estados Unidos após o ano de 1840. Foi nesse local que a espécie começou a se tornar bastante famoso. Mesmo tendo se originado na Inglaterra, se pode concluir que os Estados Unidos foi a região onde o Beagle teve mais aceitabilidade.

Características do Beagle

Além da sua fisionomia doce, o Beagle é um cão intrépido, inteligente, assim como meigo e contente. Apesar do seu porte mais baixo, não se iluda: ele é um cachorro bem vigoroso. Tem orelhas longas que pendem para os lados e pelagem curta, densa e resistente. No geral, ele possui três colorações e com as pontas da sua pelagem esbranquiçadas.
O peso dos cães dessa espécie difere muito, conforme a estatura e do tamanho do animal. Conforme a Federação Internacional de Cinofilia, os cães da raça Beagle devem mensurar mais que 33 cm e menos que 40 centímetros e, em função disto, o peso de um cachorro Beagle pode variar de 8 até 14 kg, conforme o sexo.
Os cachorros da raça Beagle possuem um grande faro e uma vez soltos e fora da coleira, podem desaparecer seguindo determinado rastro, desprezando inteiramente as chamadas de seu proprietário, provando que o seu adestramento deve ser feito desde filhote a fim de evitar este tipo de situação.

Temperamento do Beagle

Proprietário de uma característica dócil e brincalhona, o cão Beagle pode ser barulhento, amar ganir e latir quando não ensinado da forma apropriada. Ainda assim, isso não faz com que seja um cachorro complicado de conviver no dia-a-dia. É um cão que faz amizade muito fácil com crianças.
São habituados a ficarem juntos a outros cães, pois a partir da sua origem foram acostumados a estar em agrupamentos, mas, apesar do seu temperamento, ele é um cachorro de caça bem eficaz. O cachorro Beagle é calmo e se adapta a todos os modelos de vida, tanto no campo como na cidade. Ele inclusive é bastante travesso.
Deve ser criado para se tornar obediente e atender comandos e chamados dos donos, já que tem a tendência de ser birrento. Mesmo sendo dócil e adorável , o cão Beagle pode não ser bom para proprietários iniciantes, pois é um cão que precisa de proprietários firmes e com paciência e o seu adestramento é capaz de requerer tempo e bastante empenho. Diversas vezes ele é tido como “inadestrável”, pois sua pirraça é muito grande.
O temperamento da espécie Beagle é bastante estabilizado. Pela sua coragem e sagacidade, eles podem ser vistos, ainda, como um cão vigilante, contudo não são violentos ou acanhados.

Vantagens de se ter um Beagle

– São bastante brandos e amáveis
– São ótimos com crianças
– Muito carinhosos
– Adaptam-se em qualquer ambiente, seja casa ou apartamento
– Detêm uma excelente sáude
– São cachorros fáceis de cuidar não precisando de tosas incessantes ou escovação constante

Pontos fracos

– São travessos e desordeiros
– São bastante teimosos
– Tendem a se tornarem obesos
– São capazes de ser barulhentos e um tanto cansativos na ocasião em que filhotes
– Embora a sua boa saúde, eles têm uma predisposição a alergias e eczemas
– Outro problema menos habitual, é o “Beagle Tail”, que afeta mais cães com a base do rabo grosso. A Beagle Tail gera a inflamação na região do ânus, ocasionada pelo abafamento do local em razão de uma dobra entre a cauda e a região anal. Possui tratamento com drenagem da glândula, bandagens antissépticos e pomadas anti-Inflamatórias somadas a antibióticos.

Como tratar de um Beagle

O Beagle é um cão inesgotável e é por causa disso que necessita fazer atividades diárias para gastar sua energia e para que não venha a ser triste ou gordo, já que é uma raça muito comilona e possui predisposição pra ficar obeso. A alimentação do cão Beagle deve ser muito equilibrada e balanceada.
O banho pode ser dado a cada quinzena e, logo após, uma pequena penteada pra retirar o pelo solto, assim você terá um cão higienizado e bem cuidado. Lembre de cortar as unhas de vez em quando, quando for preciso, e fazer uma tosa vez ou outra.
Apesar disso, cuidados especiais devem ser seguidos em relação à região dos olhos e da orelha dos cães desta espécie. O Beagle tem a tendência a sofrer com a otite, pois as suas orelhas são muito caídas e compridas, fazendo com que possam reunir mais impurezas.
Eles podem sofrer do distúrbio denominado de “Terceira Pálpebra” ou “Hiperplasia da Glândula de Harder”. Ela é caracterizada por gerar uma camada de carne muito esponjosa ao redor da região dos olhos do Beagle.

Filhotes de Beagle

Com o objetivo de se obter um Beagle, verifique a sua procedência a fim de que não haja pequenos contratempos. Filhotes de Beagle podem ser um desafio e tanto! Por sua procedência e criação como um cachorro de caça, ele ainda possui muito este instinto, sendo difícil de dominar e de instruir.
O filhote de Beagle pode ser muito sonoro e um pouco chato, entretanto não deixa de ser cativante e embora muitos possam falar que o lugar certo para um Beagle é em uma matilha de Beagles, existem diversos deles que se tornam cachorros de casa, dedicados durante 14 anos ou mais.
Em geral, os Cães Beagle, mesmo filhotes, não apresentam nenhum medo ou temor a qualquer coisa, sendo muito curiosos a começar do seu nascimento. Evite adquirir cachorros muito arredios, que se escondam das pessoas, já que esse costume pode complicar a aprendizagem e a socialização do cão.
O amor deve ser inevitável, todavia você necessita expor muita firmeza quando necessário. Nunca permita que o seu cão Beagle faça coisas erradas ou brincadeiras além do necessário. Mostre a seu Beagle quem é que manda! Todavia jamais com hostilidade. Pra determinados estudiosos, educar qualquer cão é difícil, mas o Beagle torna essa atividade um tanto mais complicada.

Curiosidades a respeito do Beagle

– A Rainha Elizabeth I conservava a espécie Beagle chamada como Pocket Beagle (na tradução, Beagle de Bolso). Ela possuía um criadouro dessa espécie, onde chegou a desenvolver exemplares que possuía entre 20 e 23 centímetros.
– Sucedeu no ano de 2013 um fato inesquecível relacionado a esta espécie: muitos ativistas soltaram muitos Beagles do “Instituto Royal” que eram utilizados como animais de testes para medicamentos e outros propósitos.
– Por causa do seu olfato aprimorado, o cão Beagle foi usado como um cão farejador em aeroportos, pela polícia dos EUA, para que pudesse identificar drogas ou outros produtos ilícitos.

Boiadeiro Bernês – O seu cão de Guarda

Pra chegarmos ao cachorro Boiadeiro Bernese que conhecemos nos dias atuais, foram feitos vários entrelaçamentos entre divergentes raças ao longo dos anos. Para manter os rebanhos e os gados protegidos, os “Bernois Bouvier” foram muito requisitados pelos agricultores da Suiça. No fim do século XIX, devida a excelente fama do queijo suíço, os agricultores obtiveram o melhor proveito do desempenho dos pets da espécie Boiadeiro de Berna, bastante usados para puxar as carroças de leite.
O Boiadeiro de Berna também é incluído aos “Sennenhund”, ou seja, aqueles cães das montanhas, todavia exclusivamente ele tem uma pelagem longa e sedosa. Nâo se sabe ao certo a sua origem, unicamente suposições. Vários acreditam que a sua genealogia se sucedeu a partir do cruzamento entre as raças Mastiffs e os cachorros de vigia, no decorrer da Invasão Romana no território Suiço.
O acasalamento constituiu um pet saudável capacitado para suportar o clima dos Alpes e servir como cachorro de tração, defensor de gado, e cão pastor. Embora a utilidade desses cães, pequeno número de tentativas foram realizadas para perpetuar a espécie. No final dos anos de 1800, a raça estava em ameaça de extinção.
Um estudioso denominado como Albert Heim começou a analisar os cães de proveniência suíça, chegando então ao Cachorro Boiadeiro Bernese. Mas, apenas nos Alpes baixos que se encontraram estes cachorros. Após os estudos de Albert Heim, iniciou, deste modo, a propagá-los em toda a Europa. Os exemplares melhores foram vistos na região de Durrbach, propiciando a raça o nome de Durrbachler. Com o desenvolvimento da espécie, o nome foi mudado pra Boiadeiro Bernese. No período de 1926 deu-se origem ao primeiro exemplar do Boiadeiro De Berna na América.

Características físicas do Boiadeiro Bernês
O Cachorro Boiadeiro De Berna possui três colorações, estatura grande e um temperamento muito afável. Ele é sagaz, vigoroso, e tem agilidade instintiva para fazer as funções de proteção e pastoreio pra as quais foi originalmente criado e utilizado no território suiço.
O Cão Boiadeiro de Berna é grande, forte e bem uniforme. Suas orelhas caem ao longo dos lados de sua cabeça, tendo ainda membros estreitados e orelhas médias. Seu rabo é bastante denso e pende sobre o tronco. O pelo é afilado, liso, longo e escuro com vermelho e manchas castanhas na parte lateral do focinho, olhos, patas e torso. Também tem manchas claras em sua cabeça, ao redor do pescoço, peito, pés e ponta da cauda.

O Pet Boiadeiro De Berna funciona como um enorme cachorro do lar, já que na ocasião em que o proprietário está dentro da habitação o cachorro possui um baixo nível de atividade e uma intensa precisão de estar próximo dele. Não existe maior felicidade para o Boiadeiro do que estar junto de quem adora. Se você não possui área ou tempo disponível com o objetivo de oferecer atenção, consequentemente nunca obtenha este cão. Eles foram criados para estar sempre com seus proprietários.

Pelagem do Boiadeiro Bernês
O pelo do Pet Boiadeiro Bernês é lindo: Tem a parte inferior bem cabeluda e uma camada dupla, grossa, com a parte de fora alongada. Tipicamente tricolor, a grande parte do corpo do cachorro desta espécie é revestida por pelos muito pretos, com ferrugem e branco luzente. Possui uma marcação esbranquiçada na forma de uma cruz avessa, uma mancha clara em torno de seus olhos e no início do rabo.
A cor dominante do Cachorro Boiadeiro Bernês é o escuro, que deve ser forte, com as marcações em marrom muito definidas na face, por cima dos olhos, nos membros e no torso. As patas ainda podem ter pelagem branca desde que não extrapole o princípio das pernas.
A pelagem necessita de ser escovada frequentemente, afim de deixá-la constantemente sadia, além disso, sua pelagem é afinada e longa. Anualmente o Pet Boiadeiro Bernese sofre perda de pelo de maneira moderada durante as estações da primavera e outono. Escovar muitas vezes por semana também colabora a reduzir a abundância de pelo tombado ao redor da residência e mantém a pelagem limpa e desembolada. O banho recorrente, a cada três meses ou mais, conservará sua limpeza.
Temperamento do Boiadeiro Bernês
O Boiadeiro Bernês é um cão afetuoso, inteligente e vigilante. Ele inclusive é nobre, sereno e tolerante. Nunca esqueça de convidar o seu Pet Boiadeiro Bernês para passar um tempo com as pessoas da casa, pois isso é o mais influente pra ele. Seu tamanho é uma de suas particularidades mais notáveis e é muito nítido que o adestramento inicial é primordial para ensinar ao Pet Boiadeiro De Berna a como se proceder perfeitamente em casa e com os seres humanos. Ele é capaz de crescer muito, mas sempre permanecerá sendo um “crianção”. Esta raça demora para amadurecer.
O Boiadeiro Bernês guarda sua família, no entanto ele normalmente não seja ofensivo. Acostume-o desde sempre a interagir com pessoas desconhecidas e, de preferência, em lugares com diversas pessoas conjuntamente, dado que ele é bastante arisco quando não surge algo novo pra ele.
Como todos os cães, o Boiadeiro de Berna necessita de socialização antecipada, por causa disso, esta exposição a muitas pessoas, visões, sons e experiências divergentes ainda quando jovem contribui a certificar que seu cãozinho amadureça e se torne um cão estabilizado.
Várias questões podem acometer o comportamento do Boiadeiro: sociabilidade, treinamento e até fatores genéticos. Cachorros com bons comportamentos são curiosos e brincalhões, preparados a abordar e ser abordados pelos humanos.
Vantagens de ter um Boiadeiro Bernês
O Cão Boiadeiro Bernese também é um ótimo cão de vigia, que vai alertar todos da casa ao mínimo vestígio de aproximação de um estranho ou intruso. Esse cachorro é tido como absolutamente leal como um animal doméstico e de companhia da casa.

As tendências pra pastoreio e guarda desse cão inspiram tudo que ele faz. As crianças gostam de brincar com o Cão Boiadeiro de Berna, tanto por causa de seu porte quanto por sua disposição recreativa.

Ele é um cachorro inquieto, pois está sempre buscando alguma coisa pra fazer, como por exemplo, um desafio. O Boiadeiro vai querer a todo o momento satisfazê-lo, então ele vai fazer de tudo com o intuito de se encaixar em várias tarefas que você conceder para ele fazer.

Problemas comuns ao Boiadeiro Bernês

Se, por acaso, o Cão Boiadeiro Bernese for desprezado ou habitualmente deixado só, é capaz de tornar-se chateado e agitado. Caso você conceda alguma coisa para ele fazer e ele não gostar, também vai aborrecê-lo bastante. Um jardim não é grande o suficiente para ele. Outra coisa: ande com ele, pelo menos, uma hora por dia, com o propósito de mantê-lo bem física e mentalmente.

Apesar de sua beleza e ao impecável temperamento – ou possivelmente por causa dessas peculiaridades – na atualidade, os Cachorros Boiadeiros De Berna estão lutando pra permanecer. A Endogamia é um problema presente nos Boiadeiros, em relação à alguns grupos genéticos. Inúmeros espécimes estão sendo criados sem qualquer tipo de padrão, o que está provocando esses problemas. Assim, o Boiadeiro de Berna está sofrendo bastante. Com o objetivo de se adquirir um Boiadeiro, verifique um apropriado local onde comprá-lo, sua procedência deve ser bastante examinada a fim de que não tenha determinado tipo de problema com seu cão.

Como Cuidar de um Boiadeiro Bernês
Se você mora em condomínio ou em um apartamento, nunca cogite em adquirir um Cão Boiadeiro Bernês. Pra o seu cachorro aproveitar mais satisfatoriamente o espaço, um lar enorme com um largo espaço é o ideal. Por ser um cão trabalhador, ele possui muita energia. Além de brincar no quintal, ele tem necessidade de ao menos praticar exercícios físicos intensos diariamente para se manter em notáveis condições de saúde.
Cuide da saúde bucal do seu Boiadeiro de duas a três vez semanais, a fim de remover bactérias de sua boca. A escovação diária é também melhor se você desejar evitar a enfermidade das gengivas e o hálito ruim.
Se o seu cão não seja capaz de desgastar bem as suas unhas, consequentemente apare-as uma vez a cada mês. As unhas sem dúvida estão enormes, caso você seja capaz de ouvi-las no momento em que ele se encontra andando. As unhas do cão possuem vasos sanguíneos e se você aparar no local incorreto, tem grande chance de causar sangramento.
Os ouvidos do Cachorro Boiadeiro Bernês devem ser checados toda semana por vermelhidão ou mau cheiro, o que pode sinalizar infecção. Higienize as orelhas com algodão umedecido com produto sugerido pelo veterinário com o propósito de precaver inflamações. Não insira coisa nenhuma no canal auditivo, higienize simplesmente a parte de fora da orelha.
Sempre examine a pele do seu cão, analisando qualquer forma de anomalia, tal como: inflamação, vermelhidão ou sensibilidade, não pense duas vezes em chamar um médico-veterinário.
Fillhote do Boiadeiro Bernês
Caso você queira um pet perfeitamente apropriado em um ambiente familiar, habitue ele desde cedo às relações com as pessoas da residência. Introduza, o mais rápido possível, em mostrar para ele quais são os limites que ele tem. A espécie é vista como vagarosa no referente ao amadurecimento emocional e em virtude disso o processo de educação pode e deve ser realizado durante um ciclo mais extenso.
Comece a acostumar seu Pet Boiadeiro Bernês a ser escovado e analisado desde filhote. Constantemente apure as patas e a boca do Boiadeiro. Para ensiná-lo a se portar corretamente na ocasião em que for necessário ir a qualquer consulta, comece a oferecer-lhe qualquer padrão de recompensa e jamais esqueça do elogio quando ele se portar adequadamente. Como as escovações farão parte de seu cotidiano, o filhote deve ser habituado a rotina e higiene e conservação desde filhote.
Além disso, não permita o filhote de Cão Boiadeiro de Berna correr e brincar em regiões duras (tal como pavimento), saltar excessivamente ou tracionar cargas pesadas até que ele possua pelo menos dois anos de vida e até que suas juntas estejam completamente desenvolvidas. A brincadeira comum, no terreiro, é concedida.
Curiosidades a cerca do Boiadeiro Bernês
Com seu pelo denso e formoso, o Cachorro Boiadeiro Bernese se adapta bem em temperaturas frias. Mas, com a pelagem preta e da estatura grande, ele é propício de sentir bastante calor. Jamais permita que ele treine com bastante força em dias extremamente quentes.
Você precisará ter um cuidado especial se estiver criando um pet da espécie Boiadeiro Bernês. Ele se desenvolve de uma forma mais rápida entre os 4 e 7 meses, neste ciclo ele está propenso a lesões e problemas ósseos. Por isso é importante deixá-los em uma dieta de alta qualidade e pequena quantidade a qual os proíbe de crescer demasiadamente rápido.

Entenda mais sobre Akita Inu

No Japão o cachorro Akita é tido como parte do legado natural nacional, bem como as gueixas e o sumô. Ele, consequentemente, é muito popular no Japão, sendo, também, tratado como um característico símbolo de prosperidade. A nomenclatura da raça Akita Inu tem duas significações: “Inu” é derivada da palavra “cão”, no idioma nipônico; e “Akita” é originado de uma localidade localizada em Honshu.Apesar das primeiras espécies da raça Akita terem vindo só a partir do século XV, na verdade, alguns especialistas afirmam que o surgimento da espécie ocorreu por volta de quatro mil anos atrás. Primariamente, esse cão era considerado como de grande porte, sendo utilizado pelos militares do Japão como cachorro de ataque e defesa por muitos anos.Durante a Segunda Guerra Mundial, um indivíduo reproduziu uma fêmea da raça Akita com um macho de Pastor Alemão, e os filhotes foram comercializados para militantes americanos. Após este feito, deu início à raça “Akita inu Americano”, a qual se popularizou de forma rápida, consequentemente sendo comercializada em diversos cantos do planeta. Atualmente, as duas espécies convivem.

Características Físicas do Akita Inu

Os lobos e as raças “Akitas” possuem diversas semelhanças. Os cães machos da espécie Akita Inu medem em média 65 até 70 cm em estatura da cernelha e as fêmeas entre 57 até 63 centímetros. Precisamente como o tamanho, a pesagem da espécie também difere de acordo com o gênero da espécie, eles podem pesar de 33 até 50 quilos. Sua pelagem aparece de forma dupla, sendo que a pelagem de cima é retilínea e dura e o subpelo espesso e macio.A testa do cachorro Akita é bastante larga, o chanfro muito bem delineado e a caixa craniana é bastante grande e amassada. O focinho do cachorro Akita Inu vai se afunilando progressivamente e o seu comprimento é bem ponderado. Os olhos amendoados, específicos dos spitz, são um pouco pequenos, inseridos de maneira oblíqua e afastados entre si. Suas orelhas se apresentam de maneira eretas e espessas, triangulares e com pontas arredondadas, parecem relativamente inclinadas pra frente e portadas de maneira ereta.Seu pescoço é vigoroso, sem papadas, terminando em um peito profundo e amplo. As costelas tem o costume de ser moderadamente arqueadas e o seu dorso é rígido e vigoroso. A parte de trás é muito expandida. Suas patas são poderosas e redondas e sua cauda de inserção alta é grande, forte, grossa e enrolada sobre o dorso.

Pelagem do Akita Inu

Trata-se de um cão de pelo duro e subpelo oleoso, excelente para caça na água, já que seu pelo é quase impermeável, o que o mantém muito bem aquecido, mesmo em temperaturas muito geladas. A pelagem de cobertura é lisa, dura e reta, enquanto o subpelo é mais macio, condensado e oleoso. O pelo da cauda é um tanto mais extenso que o resto de seu corpo, e sua garupa e cernelha são cobertas por uma pelagem ligeiramente mais alongada.
O Akita se mostra nas colorações vermelho-fulvo, sésamo (vermelho com extremidades pretas), tigrado e branco.
Além de tudo, independente de todas as colorações que tiver, as pelagens obrigatoriamente devem ter a coloração Urajiro, isto é, na parte lateral do focinho, abdômen e pescoço, abaixo da cauda e bochechas, e ainda no lado de dentro das patas vai existir um pelo esbranquiçado.
Os Akitas mudam seu subpelo duas vezes por ano. O procedimento de troca da pelagem é muito intenso, podendo ser concluída após mais de 30 dias. Os cachorros Akita se lambem muito, como bichanos e por isso se mantêm limpos por um longo prazo. Os cães Akitas não possuem necessidade de tomar banho com frequência, uma vez que isso pode causar uma diminuição considerável de oleosidade em sua pelagem, já que eles fazem a sua higiene usualmente. As escovações devem ser executadas frequentemente.

Temperamento do Akita Inu

A característica do cão Akita pode ser determinada como calmo e receptiva, calma, e este se caracteriza por sua fidelidade. Esta espécie é destemida, valente e muito fiel. Eles farão o possível para proteger sua família e sua residência.
É astuto e disciplinado, entretanto apresenta-se como uma espécie mais indicada para donos mais experientes, que saibam ganhar a confiabilidade do cachorro e instruir o animal com firmeza e harmonia.O cão Akita não tem o hábito de ser austero com indivíduos que ele não convive, no entanto tende a se revelar indiferente às indivíduos estranhos à sua rotina. De índole forte e certas vezes dominante, determinados exemplares podem se exibir pouco condescendentes em relação a os demais cães, particularmente os de mesmo sexo. Apenas os cachorros socializados precocemente possuem a inclinação para conviver com os demais animais. Nesses casos, é aconselhado que o proprietário possa investir no treinamento do filhote desde cedo, com o intuito de evitar que o cão se torne profundamente dominante e agressivo com os os demais cachorros e demais animais de estimação.

Vantagens de ter um Akita Inu

Caso conviva, em especial, desde pequeno, o cachorro Akita Inu pode ser uma excelente companhia para as crianças. Eles podem ser um pouco distantes com alguém novo (ou crianças muito barulhentas), mas logo se adaptam às novas situações. Os cães da raça não latem muito, porém são bastante vocais e ocasionalmente “falam”.Eles são super inteligentes e sensíveis, tornando-se sempre notáveis cães de vigilância e proteção, tanto relacionados a pessoas de quem aprecie ou das propriedades que deva proteger. O Akita é um dos 60 cães mais espertos do mundo, uma vez que eles têm uma formidável habilidade de serem treinados e ensinados, especialmente se este treinamento começa desde pequeninos.

Problemas do Akita Inu

O Akita vive em média até os 12 anos. Além disso, eles são propensos a displasia em seus quadris ou em seus cotovelos, tudo isso provocado por conta do seu porte. Certos problemas oftalmológicos também costumam ser um tanto normais nos cachorros da raça, como a atrofia da retina (que pode chegar a acarretar cegueira) e o entrópio, problema que faz com que as pálpebras do animal se virem para o interior e firam sua córnea.A epilepsia também é uma dificuldade que pode aparecer ao longo da vida do cachorro desta espécie específica e, em função dos diversos problemas que podem se expressar na saúde do cão Akita Inu, é essencial que os proprietários de um exemplar da espécie como animal doméstico os levem para consultas periódicas com médicos veterinários com o intuito de assegurar o bem-estar do animal e precaver ou identificar precocemente uma série de enfermidades.Apenas os cães socializados prematuramente apresentam a predisposição para coabitar com outros animais.

Como cuidar do Akita Inu

Os cachorros Akita Inu podem adaptar-se à vida em apartamento, todavia precisam de atividades diárias para manterem-se estáveis e sadios. Quem mora em apartamento deve passear com seu cachorro Akita Inu todos os dias. Entretanto, se você vive em grandes residências, com uma área bem ampla, sugere-se que deixe seu cãozinho solto a fim de que ele consiga exercitar-se geralmente.Para que você consiga conservar os pelos do seu cachorro Akita Inu bem saudáveis, é preciso que você escove-os diariamente ou, ao menos, uma vez a cada semana, impedindo que se concentrem nós ou impurezas, que podem causar no porvir uma dermatite.A fim de que os seus cães se desenvolvam satisfatoriamente, é fundamental também prestar muita atenção em sua alimentação, pois os cachorro Akita Inu têm um bom apetite, então conserve uma alimentação bem balanceada todo o dia.A saúde geral do animal está diretamente ligada à sua higiene. Para que seu Akita não se contamine e contraia qualquer tipo de problema colocar bactérias, o lugar onde ele vai se estabelecer deve estar bem higienizado todo o dia. A boa limpeza também evita problemas de saúde futuros. No caso do cão Akita, em especial, é importante jamais deixar o local onde ele vive molhado logo após a limpeza, no sentido de evitar que ele deite e fique úmido, já que isso pode gerar o desenvolvimento de fungos em sua pele ou inclusive alergias.

Filhotes do Akita Inu

Um bicho de pelúcia pode ser bem menos fofo do que um filhotinho de cão Akita Inu. Por outro lado, por seu temperamento dominante e independente, é aconselhável começar desde muito cedo o treino de disciplina e deixar claros os seus limites, demonstrando que o cabeça é você.Akitas são cães limpos que não têm dificuldade em aprender as regras gerais de higiene. Apesar de ser uma espécie bastante auto-suficiente, preferem estra ligado dos donos do que isolados no fundo do quintal. Os cachorros Akita são predispostos em se entediar e estragar os seus pertences por toda a casa, então uma notável forma de evitar qualquer constrangimento é caminhar com eles constantemente.Ao escolher um filhote, o mais indicado é sempre olhar os pais da cria e ver o temperamento deles já que esta é uma característica genética. A fim de evitar problemas futuros, procure um petshop ou um canil adequado e confiável. pesquise a reputação do vendedor e veja se vale a pena adquirir qualquer cão no local onde você irá comprá-lo. Preste, constantemente, bastante atenção na maneira como o filhote de cão Akita Inu se porta. O comportamento do Akita Inu varia de espécie para espécie. Alguns serão mais espertos, outros serão mais obedientes, estes necessitarão de muito pulso firme pra serem ensinados.

Curiosidades sobre o Akita Inu

Hoje em dia, convivem duas raças de Akita, o Akita Inu e o Akita Americano|Duas raças de Akita
Este cachorrinho foi utilizado, durante muito tempo, como caçador de ursos e cervos. Ele se desenvolveu nos territórios noro-orientais.O cão Hachiko, conhecido por ter esperado muitos anos por seu dono em uma estação de trem, ganhou um filme nomeado “Sempre Ao Seu Lado”, protagonizado pelo galã “Richard Gere”. Depois que o dono faleceu, sem saber o que tinha acontecido, o cachorro Hachiko retornou à estação de trem diariamente por mais de uma década, na expectativa que ele voltasse, até morrer.

O excepcional cachorro Basset Hound

O excepcional cachorro Basset Hound

A espécie de cães Basset Hound foi gerada para perseguir pequenos espécimes, tal como coelhos e lebres, e também é empregada para este propósito em determinados locais. Independentemente de serem empregados para propósitos de caças, os Bassets são incríveis parceiros e, ainda, amam a criançada.

Informações sobre a Espécie

O cachorro da raça Basset Hound tem um temperamento plácido e aparência sublime. O Basset Hound é um excelente companheiro com toda família, assim como um incrível cachorro caçador. Por causa de sua grande aparência, ele é esplêndido para estrelar campanhas publicitárias. Sua intitulação deriva do idioma francês “basse” que quer dizer “baixo”. O Basset é um cão demasiadamente pequeno, seu porte físico chega quase a raspar o solo. Seus ossos são bem pesados e o corpo musculoso, normalmente tem o peso entre 25 Kg a 35. São tidos como cachorros largos com pequenas pernas, todavia não possuem mais de 38 cm. Sua aparência de patas curtas é o resultado de um tipo de naniquismo intitulado “Acondroplasia”. Apesar da sua altura, o Basset Hound presume ser um cachorro para ficar no colo e vai fazer o possível para estar em seu. Estes Cães são farejadores de cheiros, o que significa que eles foram desenvolvidos para rastrear seguindo o odor de suas vítimas. Os Bassets Hounds são um dos maiores cachorros farejadores de todo o planeta, encontrando-se somente atrás da espécie “Bloodhound”. Esses Basset Hounds têm pelos alisados, encurtados e de textura firme que são ligeiramente fáceis de tratar. A grande parte deles resulta no clássico padrão três cores: preto, pardo e branco, mas também pode ser o que se compreende como vermelho aberto e esbranquiçado (manchas vermelhas em uma pelagem branca), vermelho fechado e esbranquiçado (vermelho sólido com patas brancas e cauda), ou amarelado e esbranquiçado. Se você, certo dia, avistar um cachorro desse na coloração cinza, compreenda que, na verdade, essa cor está ligada a problemas genéticos, em concordância com vários especialistas. O Basset Hound possui uma cabeça arredondada com um focinho pequeno e muita pele enrugada na cara que deita por cima da sobrancelha, especialmente sempre que o cão se encontra sentindo algum cheiro. Muitos Bassets possuem um olhar tristonho, todavia isso é causado em razão dessa pele frouxa em sua fisionomia, entretanto, concomitantemente, isso só aumenta o charme dos Bassets. Por terem sido gerados para serem cães caçadores, várias das qualidades dos Basset Hounds têm um intuito. Estas pequenas rugas que há em torno da cabeça desses cachorros servem para pegar muito mais o cheiro do que eles encontram-se rastreando, e suas grandes orelhas rastejam por sobre o solo e ainda puxam os cheiros. O Basset é bastante simples de ser acompanhado a pé, uma vez que suas pequenas patas dificultam a sua deslocação, em comparação com outros cães de patas mais alongadas. Ao passo que os caçadores acham-se em sua busca, o seu rabo longo e com uma pequena borda branca faz com que o Basset seja visto mais facilmente pelos caçadores. Sendo amestrado, o Basset se torna bem manso e profundamente preguiçoso. Além do mais é bem alegre, muito leal ao seu proprietário e inclusive muito parceiro. Eles se adaptam com vários outros tipos de animais e inclusive de seres humanos, pois, com o passar de sua criação, eles foram gerados como bandos. Basset Hounds detestam permanecer solitários por muitas horas e podem criar um comportamento desagradável e passar a ganir se forem abandonados por muito tempo. O seu uivo chega a ser ouvido por vários quilômetros, pois é muito agudo e bastante alto. O cachorro da raça Basset Hound não permanece bastante ativo em casa, devido a isso pode adquirir peso e tornar-se obeso rapidamente. O excesso de gordura é capaz de causar problemas nas costas e nas patas de cachorros desta raça. Dessa maneira, o exercício regular é uma obrigação para Basset Hounds. Eles possuem uma enorme força e amam fazer longos passeios. O Basset ama cheirar, portanto tenha tranquilidade quando for sair para caminhar com seu cão. Se ele fareja um cheiro vai querer acompanhar este odor e poderá se distanciar caso não se encontre na coleira. À medida que captam algum cheiro que atraia sua atenção, eles andam pelas ruas e não se concentram ao seu redor, podendo ser feridos de alguma maneira. A paciência tem que ser uma virtude no momento em que se trata de educar um Basset Hound. Caso você possa convencer o cão desta raça de que o adestramento é alguma coisa que ele quer praticar, o Basset Hound consegue ser resistente e custoso de domesticar. Vários Basset Hounds aceitarão às ordens, mas outros só vão obedecer caso você tenha uma recompensa saborosa pra conceder a ele. É possível ensinar um Basset Hound de maneira tranquila, contanto que você seja tranquilo e incrivelmente dedicado. Somente assegure-se de utilizar modos de treino amáveis e objetivos. O Basset Hound é um cão emocionalmente frágil e se desconcentrará do treinamento caso seja tratado rudemente. O latido de um Basset é singular. Eles mais uivam que latem. Eles ainda possuem um ladro anormal e murmurante que usam cada vez que almejam atenção ou estão buscando comida. Por causa das suas faces entristecidas e pidonas, muitas vezes eles são espertos e conseguem ganhar numerosas guloseimas. No geral, eles são bastante felizes, divertidos e com ótimo comportamento. Lidam bem com outros animais e crianças. Sempre que não estão acompanhados, possuem o terrível costume de uivar e babar reiteradamente. Pelo modo como foram gerados, o Basset diverte-se como se estivesse disparando atrás de alguma presa, porém, com bastante carinho e amor, eles são capazes de se tornar grandes amigos pra jovens, a meninada e adultos.

Destaques da espécie

Não é conveniente amestrar um Basset em sua casa, em razão, em especial, de sua insistência. Indica-se treino com caixotes. Se puderem sentir um cheiro estimulante, Basset Hounds podem tentar persegui-lo, não interessa quanto risco isto possa representar. Devido a isso, deixe seu Basset Hound na coleira toda vez que encontrar-se andando na rua. Essa espécie de cães age por si própria e não comporta-se bem às técnicas de treinamento rígidas. Caso você não goste de cães salivadores, não adquira um Basset, porque ele espuma pela boca em demasia. Devido à pele frouxa ao redor de toda cavidade bucal, eles também inclinam-se a fazer bastante bagunça toda vez que tomam água. Se você não gosta de cachorros que exercem bastante sujeira e babam além da medida, já sabe: o Basset não é o melhor pra você. Eles soltam vários gases inclusive. Contudo em excesso já não é habitual. Vá para o médico-veterinário se continuar acontecendo continuamente. Provavelmente seja simplesmente uma alteração na alimentação. Um oponente verdadeiro ao seu Basset é a gordura em demasia. Eles amam comer e irão comer além da medida se tiverem alguma chance. Você já sabe: se engordar além da conta, distúrbios de coluna e nas pernas irão despontar, não duvide disto. A porção de ração que precisa ser entregue a um Basset Hound difere consoante a forma física de cada cachorro, e não de acordo com a porção mostrada no saco ou lata da ração. Como os Basset Hounds são predispostos a ganhar peso, é bem melhor alimentá-los duas ou três vezes por dia, em doses menores, do que de uma vez apenas. Após o seu cachorro alimentar-se, não o permita que se exercite com muita intensidade. Não se esqueça de observar o cão da espécie Basset Hound por aproximadamente 60 min após a refeição com o intuito de se assegurar de que ele está bem. Pra não ter problemas de infecção nos ouvidos, higienize as orelhas do seu Basset toda semana. As orelhas têm a propensão de manter-se bem sujas por causa delas se arrastarem pelo chão, consequentemente limpe-as com frequência para que a sujeira não se concentre. Embora o seu Basset Hound seja musculoso e incrivelmente ágil, mesmo que tenha patas muito pequenas, é melhor desencorajá-lo a pular, por exemplo, de um carro. Vendo que seu cão vai pular, pegue-o e apoie as suas costas com bastante carinho e, então, ponha-o no chão. Ao passo que desenvolvem-se, os bebêzinhos de Bassets têm a tendência de adquirir certos problemas. Mostre para o seu Basset que ele não deve pular de cima dos móveis e do carro. Nunca deixe-o realizar alguma ameaça de saltar. Com dois terços do peso corpóreo na parte da frente do seu corpo, o Basset Hound não é um grande nadador. Se tiver determinada piscina no seu lar, o cuidado necessita de ser reduplicado, porque, caso seu Basset pular em uma piscina, ele pode se afogar facilmente. A fim de evitar problemas vindouros, ao obter um Basset verifique a sua proveniência. As doenças são capazes de ser passadas de raça para raça, por isso verifique com o vendedor se o seu cachorro está em condições de saúde apropriadas.

História do Basset Hound

Os Hounds originaram-se em uma mudança da raiz de St. Hubert, a qual criou um cachorrinho anão de patas bem encurtadas. Provavelmente os cães do tipo fossem mantidos como preciosidades e, mais tarde, criados a fim de capturar quando sua aptidão de rastrear coelhos e lebres tapados abaixo de vegetais em florestas densas foi enxergada. Foi no caderno ilustrado a respeito de espécimes de caças, “La Venerie”, em 1585 que tivemos o primeiro documento do Basset Hound. Os Bassets Hounds são bastante semelhantes com os novos Basset Artésien Normand, muito requisitados nos dias de hoje na França. Os Basset Hounds foram inicialmente célebres com a nobreza na França, contudo depois da Revolução Francesa, eles se tornaram os cachorros de caça dos pobres que precisavam de um cachorro que podiam acompanhar andando, sem possuir acesso a cavalos. Em meados do século XIX, o Basset chegou à Grã-Bretanha. Lord Galway trouxe um par de cachorros da raça Basset Hound à Grã-Bretanha em 1866 e eles tiveram uma ninhada de 5 crias. Consequentemente, no ano de 1874, Sir Everett Millais importou um Basset Hound de origem francesa. Em associação com Lord Onslow e George Krehl, Millais passou a ampliar a raça na Inglaterra, possuindo um próprio canil para isto. Millais é classificado como o responsável por propagar o Basset na Inglaterra, sendo chamado de “pai do Basset Hound”. Millais exibiu primeiramente um Basset em um show de cachorros ingleses em 1875. Quando a princesa de Gales, Alexandra, apadrinhou alguns cachorros Bassets e conservou-os em um canil do palácio real, eles se tornaram ainda mais famosos. O clube da Inglaterra Basset Hound foi fundado no ano de 1884 na Grã-Bretanha. O Basset foi importado para as Américas no período colonial, mas não se espalhou propriamente nos EUA até o início dos anos 1900. A AKC (American Kennel Club) designou oficialmente a espécie em 1916, mesmo que o Basset tenha sido registrado primeiramente por volta de 1885. Em 1928 foi um marco para o Basset Hound na América. Houve uma narrativa contada no periódico Time, onde essa teria sido provavelmente percebida pelo olhar de um cachorrinho Basset Hound. Essa revista ainda colocou a foto do Basset Hound na capa. Depois da essa divulgação, o encanto do Basset foi desvelado e ele tornou-se mais admirado dia após dia. O Basset Houd se introduziu na cultura pop em muito estilo nos anos de 1960 por sua aparência. O Basset é tão famoso que foi apontado pelo AKC em vigésimo oitavo de cento e cinquenta e cinco espécies que existem no planeta. Isso revela como o Basset se disseminou pelo mundo. O jeito como seus donos enaltecem seu encantamento pela raça é muito difícil de se explicar. Eventos restritos para donos de cachorros da raça são costumes em diversas áreas, algumas vezes trazendo milhares de Basset Hounds e suas famílias.História do Basset Hound

De origem francesa, Basset Hounds possivelmente são provenientes do St. Hubert Hound, o antecedente do atual Bloodhound, e apareceram quando uma alteração na linhagem de St. Hubert desenvolveu um cão de pernas curtas ou nanico. Apesar de sua constituição remeter-se ao intuito de caça, justamente pelo seu corpo e suas pequenas patas, o Basset é capaz de ter sido usado antes de tudo como simples diversão. A primeira alusão registrada de um Basset Hound foi em um caderno ilustrado a respeito de caça, “La Venerie”, redigido por Jacques du Fouilloux, no ano de 1585. Os Bassets Hounds são bastante semelhantes com os atuais Basset Artésien Normand, muito requisitados nos dias de hoje na França. Os Basset Hounds foram inicialmente populares com a aristocracia na França, mas após a Revolução Francesa, eles se tornaram os cachorros de caça dos pobres que necessitavam de um cão que podiam seguir andando, sem possuir acesso a cavalos. Eles chegaram na Inglaterra até meados de 1801 e 1900. Lord Galway importou um par de cães da raça Basset Hound à Inglaterra no ano de 1866 e eles procriaram uma ninhada de cinco filhotes. Então, no ano de 1874, Sir Everett Millais introduziu um Basset Hound da França. Millais impulsionou a espécie na Grã-Bretanha e iniciou um projeto de reprodução no seu próprio canil, bem como em contribuição com esquemas de concepção definidos por Lord Onslow e George Krehl. Pelo seus esforços para obter mídia pra o Basset Hound na Inglaterra, Millais é considerado o “pai da raça” na Inglaterra. A primeira demonstração de um Basset foi no ano de 1875 em um show para cães do Reino Unido. Alguns anos mais tarde, a raça se tornou também mais famosa quando Alexandra, a princesa do País de Gales, manteve Basset Hounds nos canis do palácio. No ano de 1882, o Kennel Club na Inglaterra registrou a raça e, em 1884, formou-se o clube britânico Basset Hound. O Basset chegou às Américas no período colonial, mas não se espalhou precisamente nos Estados Unidos até o começo dos anos 1900. A AKC (American Kennel Club) designou oficialmente a espécie em 1916, ainda que o Basset tenha sido assinalado pela primeira vez em 1885. Em 1928 foi um marco para o Basset Hound na América. Precisamente em 1928, o periódico Time mostrou um Basset Hound na capa e publicou uma narrativa acerca do 52° Westminster Kennel Club Dog Show, no Madison Square Garden, elaborada como se tivesse sendo observada pelo ponto-de-vista de um cachorrinho da raça Basset Hound. O fascínio do Basset Hound foi descoberto, e a partir deste momento, o Basset Hound começou a expandir sua notoriedade. O Basset Houd se introduziu culturalmente com bastante estilo nos anos de 1960 por sua fisionomia. O Basset Hound é, nos dias de hoje, categorizado como o vigésimo oitavo em um total de 155 espécies e diversidades apontadas pelo AKC, uma prova de sua popularidade forte. Os donos de cães da espécie Basset Hound celebrizam seu carinho pela espécie de maneiras que são tão singulares quanto a aparência dos seus cães. Eventos privados para proprietários de cães da raça são tradição em diversas áreas, talvez chamando milhares de Basset Hounds e suas famílias.

Tamanho do Basset Hound

Não é fácil erguer um cachorro adulto da espécie Basset Hound, por isso saiba disso antes de apanhar um espécime dessa espécie para morar em uma casa com várias escadas. Você será preparado para levar seu espécime pra dentro e pra fora sem esforço se ele estiver enfermo ou idoso e precisar ser transportado?

Personalidade do Basset Hound

O Basset é muito irreverente, inclusive em relação à sua aparência alegre. A única coisa que balança com sua emoção é uma carreira de olfatos. Ele conserva-se calmo, mas concentrado o bastante a fim de que seja um admirável cão sentinela. Ele é bem desobediente, principalmente se não for perfeitamente instruído, ou melhor, no momento em que se usa muita rispidez ou aspereza. Dê a ele prêmios e afago e note os resultados aparecerem. Faça com que seu Basset experimente outras sensações desde filhotinho: lidar com os demais bichos, indivíduos e odores, desse jeito ele tem a possibilidade de se socializar muito mais tranquilamente. A socialização vai ajudar a garantir que seu cachorrinho Basset Hound cresça para ser um animal equilibrado.

Saúde do Basset Hound

Basset Hounds geralmente são saudáveis, entretanto, como todas as raças, são predispostos a certos problemas de saúde. Não quer dizer que todos os Bassets vão ter os problemas acima detalhados, porém preste atenção, porque possa acontecer que seu cãozinho seja afetado por alguma doença. Se você está comprando um filhotinho de cão, encontre um bom criador que irá lhe mostrar permissões de saúde dos pais desse filhote. Permissões de saúde comprovam que o cão foi examinado e está livre de certos problemas. Dilatação gástrica-volvulus (GDV): após fazerem exercícios físicos ou se alimentarem, ingerem grandes doses de água instintivamente. Muita gente admite que o alimento oferecido ao seu cão interfere ainda. A dilatação é mais constante entre cães mais idosos, porém pode acontecer em em qualquer fase da vida. A dilatação acontece sempre que o estômago é distendido por gases ou ar e em seguida torce (torção). A volta do sangue para o coração é retida, porque o cachorro não consegue regurgitar ou arrotar para se livrar do excesso de ar no seu sistema digestivo. A pressão sanguínea diminui e o cachorro entra em choque. Sem atenção médica imediata, o cachorro pode morrer. Suspeite de inchaço se o seu cachorro tem um abdômen distendido, está salivando em excesso e vomitando ininterruptamente. A pulsação cardíaca está rápda, ele é capaz de estar fraco ou letárgico, também irrequieto e depressivo. Há suspeitas de que a dilatação gástrica é herdada, por causa disso sugere-se que cães que têm essa situação necessitem de ser castrados ou esterilizados. Doença de Von Willebrand: apresenta-se como uma moléstia genética que pode acarretar hemorragia de leve a moderadamente grave e demorado. Se você suspeita que o seu Basset Hound tem a enfermidade de Von Willebrand, requeira ao seu médico-veterinário que realize um exame de sangue e tome as ponderações vitais antes de qualquer meio cirúrgico. Panosteíte (ainda chamado de Laminação errante ou Transiente): Essa é uma moléstia indefinível que algumas vezes é observada em jovens Basset Hounds. Seu sintoma primário é a claudicação repentina e as crias têm o costume de superar o quadro até a idade de dois anos, sem problemas a extenso prazo. Pode ser grave ou simples a claudicação. Em razão da complicação dos profissionais da área em descobrir o real distúrbio, diversos veterinários dão muitos modelos de diagnósticos: displasia do quadril, displasia no cotovelo, luxação da patela e, também, problemas mais sérios. Ainda que não seja útil, com um exame equivocado, um médico-veterinário pode querer fazer uma operação. Solicite a um estudioso em ortopedia pra executar um check-up, porque é preciso antes de se executar todo tipo de cirurgia indevida. Glaucoma: É muito frequente descobrir Bassets com Glaucoma, esta que é uma doença bem habitual na raça. Ela se define pelo aumento da pressão do olho, ocasionando a cegueira. Se você perceber seu Basset Hound pressionando ou esfregando os olhos, ou se, por acaso, o olho ou os olhos parecerem vermelhos ou abaulados, leve o seu cachorro de imediato ao veterinário pra um exame. O glaucoma tem enorme chance de proporcionar danos para a retina e ao nervo óptico em questão de horas. Alergias: Os Bassets Hounds são predispostos a alergias. Vai-se suprimindo certos alimentos da dieta do cachorro até que se detecte o real motivador do distúrbio. As alergias de contato são ocasionadas por uma reação a alguma coisa que pega na pele do cachorro, que nem rouparia de cama, pós para pulgas, xampús pra cachorros ou outros produtos químicos. Elas são tratadas identificando e removendo a causaDetecta-se a causa e, depois, retira-se totalmente o que se encontrar fazendo mal a seu cachorro. Luxação patelar: Bem habitual em cachorros menores. Quando a patela não se encontra adequadamente bem nivelada, então acontece a Luxação Patelar. Assim como um salto, acarreta uma passada inabitual ou uma claudicação na sua perna. Em regra, pode acontecer desde o aparecimento da espécie, todavia a luxação ou o desalinhamento não se ocorra precisamente até bem mais tarde. Doença do disco intervertebral: Em certos casos pode haver a perda do controle do intestino e do rim, bem como a dificuldade em se erguer por meio das patas de trás ou uma atrofia. Quando for pegá-lo, apoie bem a sua mão nas costas e na parte posterior do seu cãozinho. Se houver um grande problema, o tratamento pode fundamentar-se no emprego de medicamentos, confinamento e até uma cirurgia para remover os discos que estão causando a moléstia. Em casos menos comuns, até uma cadeira de rodas pode ser usada para orientar o seu cão a se deslocar. Infecções no ouvido: Caso o ouvido comece a apresentar cheiros detestáveis, vá ao veterinário depressa, porque isso pode ser um sinal de infecção no ouvido. Obesidade: As raças Basset Hound sofrem com um significativo distúrbio: a obesidade. Displasia do quadril: Esta deformidade no quadril pode originar-se por inúmeros motivos: hereditários, dieta e o ambiente. Basset Hounds afetados podem ser capazes de levar vidas naturais e saudáveis, entretanto muitos podem necessitar de cirurgia objetivo de se movimentarem sem impedimentos. Essa é uma condição genética em que o fêmur não adapta adequadamente nas articulações do quadril. Existem casos em que o cachorro não irá revelar nenhum tipo de perturbação por causa da displasia, em outros é possível constatar a dor do animal nas 4 patas ou em só uma. Só com o raio-X podemos identificar qualquer tipo de desequilíbrio em cães mais velhos. Os cachorros com displasia na anca não devem se proliferar. Verifique com o vendedor a autorização de saúde, demonstrando que o bicho acha-se em perfeitas condições salutares e não há qualquer vestígio do transtorno. A displasia do quadril é hereditária, mas ainda é capaz de ser desencadeada por motivos ambientais, tal como o crescimento veloz, uma alimentação de alto valor calórico ou machucados gerados por pular ou cair em pisos escorregadios.

Cuidados com o Basset Hound

Nem o calor acentuado ou o frio glacial são convenientes para o seu Basset. Os cachorros desta raça ficam preguiçosos dentro de casa, alegres por estirar ao sol ao longo do dia, contudo eles irão gostar realmente de uma comprida caminhada, com muitos aromas pra serem percebidos.

Alimentação do Basset Hound

Quantidade diária aconselhada: 1, 5 a 2, 5 xícaras de ração de excelente qualidade ao dia, dividida em duas refeições. Diversos fatores afetam na escala de alimento que seu bicho ingere: o seu porte físico, o metabolismo, o nível de exercícios físicos e sua idade. Nem todos os cães, bem como pessoas, necessitam da mesma parcela de comida. É praticamente improvável dizer que um cachorro profundamente astuto vai precisar de mais ração que um cão que vive deitado. A qualidade do alimento pra cachorros que você obtem também faz toda diferença – quanto mais rico o alimento pra cachorros, você vai sustentar o cachorro melhor e menos porção irá precisar ser colocada na vasilha. O Basset Hound adora comer e são propensos ao excesso de peso. Nunca deixe comida disponível o tempo todo pra ele, assim você vai deixar em impecável forma física e liberto de qualquer incômodo.

Coloração do pelo e higiene

Esses cachorros têm pelagem lisa e curta que afastam a impureza e a água. A despeito do clima, a pelagem espessa do Basset pode resguardar o cão. A pele é solta e flexível, proporcionando ao cachorro Basset sua tradicional fisionomia “caída”. Um tom amarelado e branco é concebível, mas dificilmente é percebido. Por causa de problemas nos seus genes, ainda há na cor acinzentada, todavia, devido a isso, não é recomendado que isto ocorra. Profundamente simples de tomar conta, mesmo com a baba excessiva e com o tratamento muito custoso dos ouvidos e das rugas. A umidade e a sujeira são evitadas pela pelagem bem curta. Eles esporadicamente têm necessidade de banhos (a menos que eles tenham rolado na sujeira). Penteie o pelo de seu Basset uma vez por semana e verá que não irá ter qualquer tipo de inconveniente com a sua pelagem. As orelhas ficam bastante sujas devido aos Bassets as arrastarem por todo o chão. As inflamações de ouvidos ainda são um enorme problema, porque o ar não circula satisfatoriamente no ouvido interior. Por isso é preciso higienizar a parte de dentro das orelhas do seu Basset Hound pelo menos uma vez por semana com uma medicação aconselhada pelo veterinário. Limpe o lado de fora das orelhas para retirar qualquer sujeira, limpe as rugas faciais com uma flanela umedecida e desça-as completamente, e examine as patas para ver se existem feridas no meio dos dedos dos pés. Previna o mau hálito e o tártaro escovando os dentes do seu cachorro periodicamente. Corte as unhas do Basset Hound uma ou duas vezes mensalmente. Se você puder escutar as garras clicarem no chão é porque se encontram bastante compridas. Se você não ama sempre que o seu cachorro salta em você e te arranha, então é bem melhor aparar sempre as garras dele a fim de evitar este incômodo, sem falar que é mais higiênico ao seu cãozinho. Comece a familiarizar seu Basset Hound a ser penteado e examinado quando ele ainda é um bebêzinho. Confira as pernas e os ouvidos, bem como as patas para evitar enfermidades posteriores. Faça desse momento uma experiência agradável, repleta de palavras amigas e recompensas e você vai estar preparando o cachorro para exames clínicos fáceis e para outras situações quando for adulto.

Crianças e outros animais domésticos

Eles lidam incrivelmente bem com as criancinhas. Seja como for, você deverá defender seu Basset Hound de ser montado por todas elas ou de qualquer outra forma de desmazelo. Sempre oriente as crianças a jamais se achegarem ou tocarem em cães que não conhecem e constantemente fiscalize as interações entre cães e crianças pequenas para prevenir qualquer mordida ou orelha e caudas puxadas. Todo mundo entende que um cão jamais aprecia cada vez que está comendo e qualquer um se aproxima, então comunique a suas crianças para nunca aproximar-se. Até com bichanos o Basset é capaz de se sociabilizar, principalmente quando bebêzinhos.

Cachorro Samoieda

As civilizações errantes utilizaram essa espécie de cachorro samoieda há aproximadamente 5.000 anos, na região da Sibéria, embora haja outras interpretações acerca da origem da Samoiedo. De acordo com os documentos, esta raça apenas podia ser identificada em meio a essas tribos, acarretando, desta forma, a sua denominação. Estes cachorros eram usados em funções no campo, para caçar e ainda para empregá-los em trenós.
Em meados do período de 1870 e 1909, os primeiros exemplares desta espécie foram enviados para a Inglaterra, porém ainda não fossem genuinamente puros. Garante-se que esta raça se proliferou no território inglês, graças a Soberana Alexandra, que adorou o Samoiedo e fez de tudo a fim de que ele fosse prestigiado no seu território. A realidade é que ainda há a possibilidade de ser vistos ancestrais dos cachorros da rainha nos pedigrees recentes.
Os Samoiedos chegaram na América em 1906, um espécime foi concedido como mimo do Grão-Duque da Rússia Nicolau. Em função de sua belíssima aparência, sua personalidade amável e sua intensidade como um cão puxador de trenós, o Samoiedo vem aumentando a sua popularidade.

cachorro samoieda

Características Físicas do Samoiedo

Seu focinho tem um tamanho mediano e uma tonalidade mais escurecida, suas orelhas são de um tamanho mediano, bem distanciadas uma da outra, sua cabeça conta com um aspecto de cunha e seus olhos bastante profundos; sua pelagem é bastante espessa, suas patas são redondas e ele tem um porte muito robusto e cheio de músculos.
Seu rabo tomba para qualquer lado, o pelo deste cão é bem espesso e bastante bonito. Sua fisionomia vem a ser engraçada: quando olhamos para ele, parece que ele se encontra permanentemente gargalhando!
A pelagem é bastante espessa e grande, sendo longa, macia e lisa. A coloração mais habitual é o branco puro, todavia podem ser observados nas variedades de branco palha, amarelo, branco e amarelado, branco e preto e branco e pardo.

O Comportamento do Samoiedo

O Samoiedo é um cão muito cativante que não irá pensar duas vezes para animar o proprietário, a família e incluindo os visitantes! Se adaptado, ele vai querer constantemente, também, deitar toda noite próximo de seu proprietário. As pessoas mais antigas amam essa raça, pois ela possui uma facilidade em satisfazê-los e deixá-los mais contentes e, principalmente, sendo uma companhia pelo resto de sua existência.
Ainda que dócil, é imprescindível que o Samoiedo faça atividades físicas frequentes porque é um cachorro acostumado com o trabalho intenso. Não é aconselhável deixá-lo preso em coleiras ou no interior de casas ou apartamentos. No momento em que se veem desacompanhados ou insatisfeitos, eles tendem a criar um comportamento mais agressivo, ladrando bastante, engolindo os objetos em sua vista e escavando por toda parte.
Estes cães não são facilmente ensináveis, são desobedientes e mais propensos a tracionar trenós do que ser mantido em correntes, mas por gostarem de satisfazer o proprietário, vão compreender ao longo do tempo.
O aconselhado é que você possua somente um cachorro dessa raça, já que esse cães não se dão muito bem com outros cães de estimação!

Vantagens em se ter um Samoiedo

Essa espécie é bem mansa, frágil, afetuosa e muito sagaz! Conquistar o proprietário e todo mundo a sua volta é um grande costume que esse cão possui.
Por sua afeição e meiguice, o Samoiedo não vai querer estar longe de seu dono por muito tempo, o que torna esta raça muito apreciada por todo mundo.
Como esta raça consegue conviver bem com visitas e hóspedes, você nunca vai ter que ficar esquentando a cabeça em deixá-lo preso! Seu dono vai ficar contente com a forma como o Samoiedo trata os seus amigos e visitantes.
Os Samoiedos são cães muito higiênicos e não irão dar bastante trabalho no que se refere a banhos e tosas, ainda que sejam bem peludos e de coloração clara. Por não possuírem glândulas subcutâneas, esta espécie não possui um cheiro ruim, que é próprio em outras espécies caninas. Ou seja, a economia com a limpeza do cão será muito alta!

Pontos fracos do Samoiedo

Samoiedos precisam de atividades físicas diariamente, uma vez que são espécimes extremamente ativos e habituados com trabalho pesado, para se preservarem tranquilos.
Caso você deseje um cachorro para ser um cachorro protetor, nem pondere em adquirir um Samoiedo.
Eles são divertidos, contudo, algumas vezes, exageram demais, deixando o seu dono muito irritado, já que eles são muito destrutivos em várias situações.
O Samoiedo é um cachorro bastante dominante, não é sugerido possuir outros animais domésticos junto do Samoiedo, especialmente gatos! Entretanto, se possuir algum outro cão no lar, adestre o Samoiedo desde novo para aceitar os amigos.
Este cachorro provém de pátrias nórdicas de temperaturas geladas e, mesmo se adequando ao clima quente, não é aconselhado submetê-los a condições demasiadamente altas.
O Samoiedo possui o costume de largar bastante pelo ao redor da residência em razão da sua troca de pelo.
Certos problemas de saúde são habituais a espécie – olhos com coloração desconhecida, orelhas caídas, ossatura irregular, joelhos de vaca protuberantes, ondulação nos pelos, qualidades do sexo não definidas, displasia coxofemoral, surdez, nanismo e atrofia progressiva da retina.

Como cuidar de um Samoiedo

O Samoiedo é um cão que tem demasiada energia e necessita de gastá-la de algum jeito, se você procura comprar um cachorro desta raça, esteja preparado para passeios diários e várias brincadeiras! Um bom adestramento inclusive será preciso a fim de tornar o cachorro mais educado.
E se você possui outros animais de estimação, o ensinamento do Samoiedo é obrigatório: sem ele você terá um cão muito retraído, especialmente com outros cães.
Esta raça possui a preferência em conservar-se dentro de casa, logo é vital que o dono eduque devidamente o cão com as regras de casa – entretanto fique preparado para uma tarefa fastidiosa, pois o Samoiedo é muito teimoso! Outra coisa fundamental é pentear a pelagem do cão de duas a três vezes por semana a fim de evitar que a pelagem se disperse pelo lar.
Essa raça é extremamente inteligente e precisa de bastante afeto do proprietário, esteja capacitado para dar muita atenção e amor a ele.

Filhotes de Samoiedo

Esses filhotinhos são bastante carentes, sempre desejando amamentar e dormir bastante, sem contar que eles são iguais a umas “bolinhas de pelo”! Embora eles crescem muito depressa e por volta da quinta e décima semana de vida já viram plenos “desbravadores” do espaço onde habitam. Esta etapa é a melhor para que o seu dono adestre-o, a fim de que quando amadurecer não dê bastante trabalho. Neste momento ele se encontra mais disposto a interagir com outras pessoas, sendo mais fácil ensiná-lo. O condicionamento deve ser mais aprofundado após os três meses, pois nesta fase o Samoiedo fica mais “autoritário”, portanto sendo mais difícil instruí-lo. Passados 1 ano, o cachorro já toma uma postura mais madura e desenvolve a capacidade de aprendizagem, o criador deve acentuar o adestramento nesta fase a partir do momento que eles se tornam mais hostis.
O Samoiedo, quando filhotinho, é muito divertido, repleto de vigor e bastante bem disposto. Referente às seu porte físico, é fundamental possuírem olhos marrons e lábios pretos e com um “sorriso” característico da espécie. Se por acaso a orelha de seu filhote não se ergue, fique tranquilo: ela só se eleva logo após os 3 meses de sua existência. O rabo assenta em cima do dorso depois dos dois meses.

Curiosidades a respeito do Samoiedo

O Samoiedo é visto como o cão nórdico mais submisso já observado, todavia ele possui um estranho hábito de ficar sempre procurando algo, especialmente nos buracos que ele cava quando está entediado.
Na primeira chegada da raça para o território inglês, nem todos eram genuínos de raça nem de coloração branca, alguns eram da coloração de canela e um pouco menor que a raça autêntica. A origem de certos exemplares originaram-se das tribos sedentárias.
O primeiro clube especializado na raça se originou no ano de 1920, e existe até os dias atuais; e, oficialmente, as primeiras importações suscederam-se no período de 1893.
Nos períodos de tempestades de neve, os Samoiedos podem cobrir o seu focinho com o próprio rabo.
Eles têm uma curva nos seus lábios, que proporciona uma ideia de estarem sempre “sorrindo”.