Bitola de cabos – Pode reduzi-las? 

bitola-de-cabos

Ao lidar com instalações elétricas, uma das questões mais cruciais é a escolha correta da bitola de cabos. Ou seja, essa escolha não só afeta diretamente a eficiência e a segurança da instalação, mas também tem um grande impacto no orçamento e na durabilidade do sistema. 

Portanto, a bitola de cabos é um aspecto técnico que define a espessura dos fios utilizados e está diretamente relacionada à capacidade de condução de corrente elétrica sem provocar aquecimento excessivo ou riscos de curto-circuito. 

Desse modo, no conteúdo de hoje vamos te contar tudo sobre as instalações elétricas, explorando a importância de escolher a bitola de cabos adequada e as implicações de fazer emendas e derivações entre cabos de bitolas diferentes. 

Vamos entender as normas técnicas que regem essas práticas e discutir as melhores abordagens para garantir uma instalação segura e eficiente? Então, bora lá! 

Pode diminuir bitola de cabos? 

A inspiração para este texto surgiu de uma questão interessante:

“Por que não explicamos se é possível ou não reduzir a bitola de cabos em uma caixa de passagem? Muita gente tem essa dúvida, achando que essa prática pode diminuir os custos da construção…”

Para esclarecer essa dúvida, começamos verificando as normas técnicas relevantes.

Investigamos uma norma específica, que aborda as emendas em cabos de potência isolados para tensões de até 750 V, datada de 2010.

Essa norma, em seu item 3.3, menciona que:

“Uma emenda de derivação ocorre quando um cabo secundário é conectado a um principal. Normalmente, este cabo secundário tem uma seção de condutor menor ou igual à do principal”.

Isso nos leva a uma revelação surpreendente: de acordo com a norma, é permitido fazer emendas com cabos de bitolas diferentes!

Mas, vamos com calma! Ainda temos mais informações para analisar.

A norma detalha que as emendas devem resistir às mesmas condições de sobretensão, sobrecarga, temperatura e curto-circuito previstas para o cabo original. Isso está especificado nos itens 4.41, 4.5, 4.6 e 4.7 da mesma norma.

Mas, vamos continuar avaliando as normas regulamentadoras

O que diz a norma regulamentadora sobre diminuir bitola de cabos? 

Bom, parece que estamos voltando ao ponto de partida na nossa discussão sobre a bitola de cabos.

Vamos refletir: se a emenda precisa suportar as mesmas características em situações de sobrecarga, então não é viável usar cabos de bitolas diferentes, certo? Ainda tem dúvidas?

Então, vamos consultar o que diz a NBR 5410 a respeito de bitolas distintas. O item 6.2.8.1 da norma especifica que:

As ligações entre condutores devem assegurar uma continuidade elétrica duradoura, suportabilidade adequada e proteção mecânica.

No item 6.2.8.2, um dos fatores considerados é justamente a seção dos condutores.

Outro ponto é que, de acordo com a tabela 36 da NBR 5410, e usando o método de referência B1, que é bastante comum, e considerando 2 condutores em uso, um cabo de 4,0mm² aguenta uma corrente de 32A.

Já um cabo de 2,5mm², que tem uma seção nominal menor, suporta uma corrente de 24A nas mesmas condições mencionadas.

Agora, pensando de forma mais prática:

Se a proteção foi dimensionada para um cabo de 4,0mm², provavelmente utilizou-se um disjuntor de 25A.

Imagine um cenário como a cozinha de um restaurante, operando a plena carga. Então, se houver uma emenda com um cabo de 2,5mm² nesse circuito, ele estará operando acima de sua capacidade de condução de corrente.

Na prática, o cabo vai aquecer mais, reduzindo sua vida útil e, com o tempo, até mesmo sua capa de proteção pode enfraquecer.

E o disjuntor de 25A no quadro de distribuição? Ele não será afetado. Pois, foi dimensionado pensando no cabo de 4,0mm², não no de 2,5mm², em caso de sobrecarga.

Tudo bem fundamentado, mas ainda resta a dúvida…

Posso emendar bitola de cabos mesmo sendo diferentes? 

Bom, não existe uma proibição específica sobre isso, mas os trechos que analisamos sugerem que também não é aconselhável.

No entanto, se você ainda optar por fazer esse tipo de conexão, como por exemplo, unir um cabo mais grosso a um mais fino, é crucial usar um disjuntor adequado para proteger o cabo de menor bitola. Assim, você assegura que a instalação fique protegida.

Mas, como uma boa prática, não é recomendável fazer emendas e derivações entre cabos de bitolas diferentes.

Então, se você encontrar uma instalação já feita assim e o cliente não desejar substituir os cabos, por qualquer razão, aconselha-o sobre todos os riscos envolvidos. E, como medida imediata, substitua o disjuntor do circuito para proteger o cabo de menor bitola presente.